quinta-feira, 3 de abril de 2008

On the road



Aproveitando o mote do "post" anterior,aliado à minha falta de imaginação,transcrevo um prefácio de John Steinbeck de que gostei muito.

"Quando eu era muito novo e sentia em mim o impulso irreprimível de estar em quaquer outro sítio,foi-me assegurado que a maturidade curaria esse desejo ardente.Quando os anos me indicavam como amadurecido,o remédio prescrito foi a meia-idade.Na meia-idade,asseguram-me que uns anos mais acalmariam a minha febre,e agora,que tenho cinquenta e oito ,talvez a senilidade o consiga.Nada surtiu efeito.Quatro sopros roufenhos do apito de um navio ainda arrepiam o cabelo da minha nuca e põem os meus pés a sapatear.O som de um avião de jacto,de um motor a aquecer,até o bater de cascos ferrados no pavimento,provocam o antigo estremeção,a boca seca e olhar vago,o calor das palmas das mãos e a agitação violenta do estômago,aos pulos sob a caixa das costelas.Por outras palavras,não melhoro,ou,indo mais longe,quem foi vadio é sempre vadio.Receio que a doença seja incurável.."
"Descobrimos após anos de luta que não escolhemos um passeio;o passeio é que nos escolhe a nós.Linhas mestras da volta,horários,marcações,descaradamente obrigatórios e inevitáveis,fazem-se em fanicos de encontro à personalidade do passeio."
"Agora sinto-me melhor,tendo dito isto,embora só aqueles que o experimentam possam compreendê-lo."

John Steinbeck-Viagens com o CHARLEY

4 comentários:

joao veiga disse...

On the road, esse épico com o Jack Kerouak no principal papel, Dean e Neal Cassady como supporting actors, oh oh, nem nos campos de arroz de Salreu, oh oh, eu que o diga.

jc disse...

Não lí este livro do John Steinbeck
mas gosto e identifico-me também com este prefácio!Se calhar tambem sou um vadio...! Ainda bem. :)

almagrande disse...

JC,God speed your airplane.

Ani disse...

Também não li esse do Steinbeck, mas agora vou querer ler! Quando se nasce assim, nada feito! Só a morte nos vai sossegar - mas vamos de pança cheia de emoções, sensações, insatisfações, porque a cada conquista se nos abre um novo leque de coisas novas que ansiamos conquistar. Em termos de vivências ninguém nos bate!