domingo, 21 de setembro de 2008

"Figueira da Foz - Aveiro"

Ele há dias assim, que prometem e cumprem o que se espera deles. Neste caso, a promessa de um dia agradável foi largamente cumprida e ultrapassada. O convite feito pelo Patrão do "CASVIC" para fazer parte da tripulação na regata Figueira- Aveiro foi como "perguntar ao cego se quer ver.." nas palavras de um ilustre participante. Logo aí a coisa começou a correr bem porque depois de demoradas e complicadas negociações consegui conciliar as minhas obrigações profissionais de maneira a poder estar presente.
A noite da véspera foi passada a bordo, por toda a cabina são aínda visíveis recordações de viagens do antigo proprietário, placas de algumas homenagens que lhe prestaram e que ele, premeditadamente ou não, deixou no barco. Ali fazem mais sentido, um barco com aquele historial deve ostentar os galões.
O dia amanheceu a anunciar chuva e com um ventito Leste que ameaçava desaparecer, e assim foi, depois de uma primeira parte feita a motor até às imediações da linha de largada, quando precisámos dele, ele quase que se recusava a colaborar. A manhã foi assim, vento muito fraco e sempre com tendência a diminuir.
Aproximava-se a hora do almoço e a total ausência de vento levava alguns dos competidores a renunciar à competição e a ligar o motor, enquanto outros aproveitavam para ligar o fogão, anunciando pelo rádio as respectivas ementas e cartas de vinhos..decididamente trata-se bem esta rapaziada da Avela.
Estavamos nós também a tratar do corpo quando, sem avisar, entra um vento simpático de Oeste que ainda fez esvoaçar uns copos e ao que consta, um prato de salada numa das embarcações que mais leva a sério esta questão da alimentação a bordo, a forma como hidratam o corpo é notável!
O vento foi crescendo e até Aveiro foi uma beleza, nem a chuva que entretanto apareceu conseguiu estragar a festa.
Depois de uma entrada na barra sem sobressaltos, os barcos reuniram-se para um desfile e sentida homenagem aos "TALL SHIPS", enormes, majestosos, magníficos.
Os participantes da regata iam passando em comboio, com as tripulações a admirarem estes colossos, buzinando repetidamente, um espectáculo dentro de outro. De repente, sem que alguém esperasse, o nosso "CREOULA" responde-nos na mesma moeda, amplificada à medida do seu tamanho... Lindo!
A caminho da sede da Avela aínda nos cruzámos com um daqueles moliceiros castrados, sem mastro, sem velas e sem ponta da proa, até para ser barco é preciso ter sorte..
Seguiu-se a amarração e barrela das embarcações e quanto a mim, um cafézinho sonhado desde a Figueira.
Claro que os organizadores não deixaram os créditos por mãos alheias e tinham um paladoso jantar para os participantes, comido e bebido com gosto por todos.
Após a entrega de prémios, para alguns o fim de festa, para outros alonga-se a conversa e para outros aínda, é tempo de merecido descanço a pensar já no regresso no dia seguinte à Figueira da Foz. Bela jornada de vela, ao Comandante Cândido e à Inês o meu agradecimento.

7 comentários:

CELTA MORGANA disse...

Toda a verdade sobre a Regata e "ratings" em:
http://celta-celta.blogspot.com/2008/09/regata-figueira-da-foz-aveiro.html

A mim ninguém me cala.

joao veiga disse...

A verdade é que o Pardal e o Alentejano vieram sempre atrás de nós, essa é que é essa.
Quanto ao NVV Veronique, se é certo que estavamos a almoçar quando os outros desistiram, não é menos verdade que foi superiormente dirigido e governado pelos seus tripulantes, conseguindo mesmo ficar à frente, ligeiramente, mas à frente, do NVC Casvic (Navio à Vela do Candido)

almagrande disse...

Boas Comandante Veiga, a certa altura pensei que o CASVIC conseguiria apanhar o VERONIQUE mas, a embarcação superiormente comandada por si teve uma ponta final de lhe se tirar o chapéu. E que que bem que ele ia.. surpreendeu-me o andamento do seu barco.

Marieke disse...

Almagrande...bem vindo sempre as confraternizações do AVELA..já faz parte da casa..então senão antes até ao Cruzeiro ao Douro...
Ahhhhhhhh..Já me esquecia..parabéns pela belissíma grumete Inês a bordo do CASVIC

almagrande disse...

Obrigado Marieke, é um prazer enorme visitar-vos e participar nos vossos eventos. Quanto a Inês, uma falha imperdoável da minha parte não a ter mencionado pois além da companhia agradável, cozinhou para nós com esmero.

Eugénio disse...

Foi um prazer enorme ter-te conhecido. Sobre a regata, escreveste tudo o que tinha que ser escrito.
Abaço

almagrande disse...

O prazer foi recíproco,um abraço daqui,destas terras marinhoas.